Navegar é preciso, viver não é preciso. A frase, atribuída ao general romano Pompeu e imortalizada no poema de Fernando Pessoa, define bem o que foi o espírito do português, um povo ligado de corpo e alma ao mar, e que através dele conquistou sua grandeza. Portugal foi uma grande potência marítima, possuindo territórios em várias partes do mundo, tais como África, Índia, China e, é claro, Brasil. Tudo isso começou lá, no rio Tejo, mais precisamente, num região conhecida anteriormente como Restelo, e hoje como Belém. De lá partiam as caravelas para desbravar os oceanos, e nesse local emblemático foram erguidos vários monumentos relativos à história das navegações portuguesas das quais falaremos de algumas neste post. Prontos para explorar a região de Belém?

[…]

Estando em frente a Catedral de Notre-Dame, é quase impossível não olhar para o alto das torres e procurar pelo corcunda. A triste história de Quasímodo (o corcunda) e seu amor pela bela cigana Esmeralda é conhecida no mundo todo através da obra do escritor francês Victor Hugo, Notre-Dame de Paris. Como cenário principal de sua obra, o autor escolheu uma catedral majestosa, antiga e imponente, testemunha de fatos importantes na história de Paris. Não foi por acaso que Victor Hugo escolheu Notre-Dame. A catedral foi símbolo do poder da realeza francesa e da religião católica, e apesar disso, encontrava-se em um péssimo estado de conservação. A repercussão da obra de Victor Hugo chamou a atenção para a importância da preservação da catedral, possibilitando sua sobrevivência, imponente, até os dias de hoje.

[…]